Área do DHO/Gente
Acesse Aqui
Área do Participante
Acesse Aqui
Área do DHO/Gente
Acesse Aqui
Área do Participante
Acesse Aqui
Educação Financeira
Notícias
2022: perfis começam bem

Em janeiro, a perspectiva de alta dos juros e a redução dos estímulos monetários dos Estados Unidos, junto ao posicionamento contra a inflação por parte do Federal Reserve (Fed), Banco Central americano, elevaram a aversão ao risco ao redor do mundo.

No mercado do petróleo, as cotações voltaram a ter altas ainda relacionadas às tensões entre Ucrânia e Rússia. E, embora não tenha ficado entre os piores ativos, o dólar à vista teve queda de -4,84%. Nesse cenário, as bolsas americanas sofreram no mês e o investidor estrangeiro aproveitou para buscar oportunidades nos países emergentes.

A Bolsa de Valores B3, na contramão das bolsas globais, começou 2022 com o pé direito. O Ibovespa, principal índice de ações, viu uma forte recuperação em janeiro, puxada pelo retorno de recursos estrangeiros para o Brasil. O índice acumulou um ganho de 6,98%, a maior alta mensal desde dezembro de 2020, quando registrou 9,30%. No acumulado dos últimos 12 meses marca -2,54%.

O mesmo aconteceu com o IBrX, referência para as aplicações em renda variável dos perfis agressivos da Funsejem. O índice variou 6,87%.

A perspectiva de alta na taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, beneficiou os investimentos mais tradicionais da renda fixa conservadora, aqueles cuja remuneração é atrelada à variação do CDI, e que se favorece de um cenário de juros em alta.

Os títulos públicos pré-fixados e atrelados à inflação, cujos preços caem quando os juros futuros sobem, tiveram depreciação. Dentre estes papéis, estão os títulos de inflação com vencimento superior a 5 anos (IMA-B5+), que fecharam em -1,61%. Outra renda fixa que fechou negativa foi a do pré-fixado, com -0,08% (IRFM). Os papéis pós-fixados renderam no mês 0,83% (IMA-S).

Perfis de investimentos Funsejem

Nesse contexto, os perfis de investimentos mais agressivos da Funsejem fecharam o mês de janeiro assim: 1,12% no perfil moderado, 1,72% no agressivo e 2,35% no superagressivo. O perfil conservador, que diversifica os investimentos em títulos de renda fixa públicos e privados, com maior exposição a papéis pós-fixados, rendeu 0,69%. O resultado é próximo ao CDI, índice que é referência de retorno para o perfil, e que variou 0,73% no mês.

Atenção

Apesar dos bons resultados de janeiro, a tensão pré-eleitoral, os demais problemas econômicos do país e a instabilidade gerada pela pandemia da covid-19 seguem preocupando o mercado.

Simule seu perfil de investidor aqui no site. Sua escolha não deve se basear em resultados passados, mas em uma análise pessoal, de seus objetivos futuros.

Ver todas as notícias


2023 – Votorantim – Todos os direitos reservados.